Nota da CGY e da ArpinSul em defesa da CR Litoral Sul da Funai

cgyarpin

 

 

Ao Presidente da Fundação Nacional do Índio,

Sr. Antonio Fernandes Toninho Costa,

 

A Comissão Guarani Yvyrupa (CGY) – organização representativa das aldeias guarani das regiões Sul e Sudeste do Brasil – e a Articulação dos Povos Indígenas do Sul (ARPINSUL) – organização que articula os povos e organizações indígenas da região Sul – vem por meio desta carta pública se manifestar em defesa da permanência da jurisdição integral da Coordenação Regional Litoral Sul que atende ao “corredor guarani”, e também o povo Xokleng.

A instalação da Coordenação Litoral Sul foi uma conquista do movimento indígena organizado, e permitiu garantir maior proximidade da Funai às aldeias que historicamente vinham sendo esquecidas pelo órgão de assistência, por não se submeterem ao projeto colonialista de integração e confinamento que imperou por muito tempo, e infelizmente, muitas vezes teima em se reerguer contra os interesses dos nossos povos.

Em relação à CR Interior Sul, a posição do movimento indígena da região é a de que se cumpra a determinação judicial de efetivar a transferência da CR de Chapecó para Guarapuava, como vem sendo defendido há tempos tanto pela CGY quanto pela Arpinsul. Não compactuamos com iniciativas oportunistas que tentam ou manter a CR Interior Sul em Chapecó, em benefício de interesses particulares, ou transferi-la para Curitiba, o que teria como efeito  a descaracterização da jurisdição da CR Litoral Sul.

Por fim, queremos expressar nossa enorme preocupação com o desmonte da Funai que está em sendo realizado pelo atual Governo, e o repúdio à edição do Decreto 9.010/2017, publicado sem qualquer consulta ao movimento indígena, e com o efeito de reduzir ainda mais a frágil estrutura da Funai, representando mais um ataque aos povos originários do país.

O Decreto resultará na extinção de 51 Coordenações Técnicas Locais da Funai, e o enfraquecimento de todas as Coordenações Regionais, atacando os braços do órgão que prestam assistência direta às comunidades.

Nós, povos indígenas das regiões Sul e Sudeste, não podemos aceitar cortes de CTLs nas nossas regiões, que cumprem papel importante, apesar das enormes deficiências e fragilidades, por serem os únicos braços do Estado Brasileiro que nos apoiam em situações de enorme opressão por parte de fazendeiros, invasores, e agentes que se esforçam por nos aniquilar e anular nossa luta pela demarcação de nossas terras, que foram de nós tomadas.

Destacamos especialmente a necessidade de manutenção e fortalecimento da CTL Guaíra, localizada no Oeste do Paraná, em local onde as aldeias Ava-Guarani encontram-se em situação de enorme vulnerabilidade, sendo atacadas por todos os lados, vítimas de um verdadeiro apartheid genocida.

Seguiremos na luta, e não recuaremos nunca!

 

28 de Março de 2017

Comissão Guarani Yvyrupa – CGY

Articulação dos Povos Indígenas do Sul – ARPINSUL

Sem comentários

Mande uma Resposta